Se quisermos que nossas impressões sejam de extrema qualidade, temos que calibrar cada filamento. Ok, e o que isto significa? Significa que temos que dizer para o fatiador o quanto de material está entrando (diâmetro do filamento), para que a impressão não fique “fraca” devido a falta de material na saída, ou “deformada” pelo excesso dele.
Esta calibração não é necessária para os filamentos da Boa Impressão 3D (BI3D), porque a gente já envia os perfis pré-configurados.  ;-)

Parte 1 – Volume de extrusão

Para cada fabricante, e para cada cor, nós devemos ter uma configuração no software fatiador, e o passo-a-passo abaixo vai guiar você pelos caminhos da calibração da extrusão, mas nada impede de que você crie a sua metodologia e compartilhe conosco nos comentários ;-)

Passo-a-passo

Nesta primeira parte, vamos medir o filamento para conseguir o diâmetro. Na segunda, vamos fazer a prova real no software de fatiamento.

Nós vamos precisar de:

  • • Um paquímetro digital – ele é mais preciso, mas caso não tenha dá pra quebrar o galho com o baratinho de plástico;
  • • Uma calibration box – Nada mais do que um cubo solido, no caso 20x20x10mm;
  • Este perfil do Slic3r – para bicos de 0.4, o mais comum. (Clique em “Salvar destino como” para fazer download)
    Salve este arquivo dentro do diretório/pasta onde estão os outros perfis de qualidade:  \ConfigSlic3r\print
  • • Sua impressora Stella –   :-p

 Parte I – A teoria

  1. Com o paquímetro digital, meça uns 10cm de filamento em intervalos de aprox. 1cm, nas duas direções e anote os valores. Por “duas direções” queremos dizer:
    Vertical - Na direção do enrolamento do carretel

    Vertical – Na direção do enrolamento do carretel

    Horizontal – Perpendicular ao enrolamento do carretel

     

  2. Então serão 10 valores para cada direção. Destes 10, o maior e o menor são descartados e tiramos uma média para cada direção.
    Exemplo:
    Média vertical = 1.65mm
    Média horizontal = 1.63mm
    .
  3. Esta “média” vamos chamar de valor nominal.
    Haverá um valor nominal para cada direção, a diferença entre as duas é a ovalização do filamento.
    No exemplo:
    Ovalização = 0.02mm

    Conceito: A diferença entre o valor mais baixo da medição e o valor mais alto (já descartados os extremos) damos o nome de variação do filamento, quanto menor a variação e ovalização, mais preciso é o filamento, melhor será a qualidade da impressão.
    .
  4. Como saber então o diâmetro do filamento, aquele que a gente coloca no fatiador?
    Por experiência (sem matemática), nós aqui colocamos a metade da ovalização.
    No mesmo exemplo:
    Entre 1.63mm e 1.65mm temos 1.64, então:
    Diâmetro do filamento: 1.64mm
    .
    Isso geralmente dá certo de primeira e nem precisa ajustar mais nada. Simples né!? Ok, mais ou menos… Vamos à parte 2

 Parte II – A prova real

  1. Vamos colocar este valor mágico no Slic3r.
    Abra seu Slic3r, pelo Repetier Host, clicando em Configuration:

    .
  2. Na aba Filament Settings (1), Selecione o filamento mais próximo (2) (mesma marca, mesmo tipo), insira o valor que calculamos no campo Diameter (3) e deixe o multiplicador com “1” (4).
    slic3rfilament
    .
  3. Clique em Save (este disquetinho azul)  e tome muito cuidado nesta hora!
    Altere o nome, do contrário irá sobrescrever o filamento antigo.
    savefilament
    .
  4. Agora vem a impressão, vamos imprimir o calibration box com o perfil “Calibrar”, que você baixou no link acima. Ou seja:
    fatiando
    Fatiar e mandar imprimir
    .
  5. Agora é só aguardar e relaxar…
    Spoiler: Sim, o cubo sairá oco. Apesar de o modelo ser preenchido, esta configuração foi feita para imprimir apenas as paredes e sem o topo.
    .
  6. Quando o cubo oco estiver pronto, mediremos suas paredes. Elas devem ter exatamente 0.4, mas provavelmente não vai bater de primeira;

    0.39 :-(

     

    Dica: Meça do meio para cima da peça e não aperte tanto o paquímetro contra a peça. Do contrário você pode pegar uma primeira camada esmagada ou afundar o instrumento no plastico, tendo assim uma medida irreal.

  7. Então agora vamos calcular a diferença entre o valor esperado e o valor encontrado, em em percentual. A conta é essa:
    (Valor esperado / Valor encontrado) * Multiplicador de extrusão atual = Fator multiplicador de extrusão
    Exemplo:
    (0.4 / 0.39) * 1 ~= 1.03 (arredondado)
    .
  8. Pegaremos este valor e colocaremos em “Extrusion multiplier” ou “Multiplicador de extrusão”.

    .
  9. Salve as alterações;
    .
  10. Daí, repetimos os passos de 4 à 9 até que esta parede fique com D0.4;

    0.4 :-D

    0.4 :-D

Geralmente a gente consegue calibrar com 3 ou 4 tentativas, mas vale muito a pena.
Já imprimimos peças de teste sem este trabalhinho, e ficaram muito inferiores ao que a máquina pode apresentar, então mãos à obra! Crie seu perfil e poste suas dúvidas, estamos aqui para ajudar!

Você faz diferente? Tem alguma dúvida? Comenta aí em baixo ou nos mande um e-mail!

Na próxima vez, falaremos sobre a temperatura do filamento. Até lá!

impressora3d-stella2

Comentários