Não há como negar, as impressoras 3D despertam a curiosidade de quem passa por algum lugar e vê aquela máquina minuciosa, construindo um objeto a cada linha, forma e estrutura do objeto proposto. Mauricio Faria, 46 anos, profissional da área moveleira, é exemplo dessa paixão.

Tudo começou em 2012, quando Mauricio iniciou suas pesquisas na área e investiu na primeira impressora 3D, uma da fabricante 3Dsystems de origem americana, mas confessa que o início não foi fácil.

“A compra foi ótima, tranquila, aquela empolgação. Mas tive dificuldade com o suporte técnico, tanto em manuais, como o pós-venda. Não resolveram o que eu precisava. Aprendi na raça, na tentativa e erro”.

Maurício desejava uma segunda impressora e sempre acreditou na indústria e nos produtos nacionais. Durante pesquisas na internet, em 2015, descobriu a Impressora 3D Stella, da Boa Impressão 3D. Logo no início, conta que desconfiou pelo preço ser abaixo do mercado:

“Eu tive uma certo pré-conceito, pois o preço é bem mais baixo, e achava que tinha alguma coisa errada. A pré-venda e a pós ocorreu como prometido, tudo na data correta. O manual é todo descritivo, até ‘como tirar da caixa’, coisas que não aconteceram com a outra empresa. Boa estrutura para oferecer o cliente, foi totalmente ao contrário do que tinha passado”, explica.

As primeiras peças impressas foram puxadores, e, em seguida, Mauricio já estava oferecendo serviço de impressão 3D, contudo, ele queria disseminar a informação sobre o processo, como funciona e o quê é possível elaborar com uma impressora 3D.

“Eu sentia: ‘não é só apertar botão’, até chegar onde você quer, não é simples, mas dá para fazer tudo o que deseja na área da sua impressão”, relata sobre a experiência geral das pessoas com impressão 3D e sobre a falta de informação sobre o assunto.

Mauricio dando aula em um Fab Lab Mauricio dando aula em um Fab Lab

Com o conhecimento adquirido na prática, e com muito estudo, Maurício desejava compartilhar tudo isso para as outras pessoas e viu a oportunidade com o surgimento dos Fab Labs, os centros de ampliação e produção de tecnologia da Prefeitura de São Paulo. Ele levou a impressão 3D para as crianças a partir dos 7 anos, oferecendo cursos como voluntário nesses centros, proporcionando um panorama geral nas aulas com vídeos e informações dos últimos 30 anos e a evolução das impressoras 3D. No final, os alunos modelam objetos simples, como saboneteiras ou peças de lego e têm o primeiro contato com o assunto.

Mauricio está muito animado e com muitos planos. Hoje em dia ele ministra palestras em faculdades e escolas além de promover workshops, também está montando um escritório com foco no compartilhamento do conhecimento sobre impressão 3D, você pode acompanhar o seu progresso pelo site pessoal. A Stella e o Maurício encontraram uma boa parceria, com muitos frutos por aí.

Comentários