Blog

Noite das Mulheres da Impressão 3D em São Paulo

Noite das Mulheres da Impressão 3D em São Paulo
|

Na noite da última quarta-feira (12) aconteceu um Happy Hour de mulheres interessadas em tecnologia, e, principalmente, impressão 3D. As participantes eram de diferentes áreas: odontologia, engenharia, finanças, design e moda, ou seja, a diversidade e a troca de experiências foi muito grande.

O evento aconteceu entre uma parceria da Boa Impressão 3D, o Mao3D e a Via Havok, escola de cursos e games. A finalidade do encontro foi promover a união dessas profissionais e incentivar que o Brasil faça parte da organização internacional Women in 3D Printing, que atua na inserção de mais mulheres na tecnologia da impressão 3D.

A anfitriã do evento foi a professora Elizete Kunkel, PhD em Biomecânica, fundadora do programa de extensão Mao3D na Universidade Federal de São Paulo. Conta sobre a importância do grupo Woman in 3D Printing para a impressão 3D no Brasil.

“Precisamos ir para a rua e vamos aprendendo como elas fizeram,” disse a professora.

O grupo liderado por Elizete na UNIFESP realiza a protetização e reabilitação de crianças e adultos com próteses impressas com impressora 3D e é uma das instituições que a Boa Impressão 3D auxilia em eventos beneficentes.

Além do happy hour, o evento contou com uma série de relatos das profissionais presentes e, entre elas, Vanessa Peixoto, cofundadora da Boa Impressão 3D, que contou a sua entrada no mercado da tecnologia.

“Eu trabalhava num escritório de contabilidade e decidimos fazer (Impressora 3D) Stellas. As 150 primeiras impressoras fui eu quem montei”, relata a empresária.

Mesmo sem ter especialização ou formação técnica, Vanessa encontrou na impressão 3D uma forma de empreendimento rentável e hoje atua em diversos segmentos da empresa: financeiro, contábil, além do lançamento dos novos produtos e melhorias nas impressoras.

Thabata Ganga, engenheira biomédica, trabalha com impressão 3D no segmento da saúde e indústria, contou sobre o preconceito que sofreu ainda quando era uma estudante universitária.

“Escutava piadinha de professor dizendo que a gente não tava fazendo trabalho de verdade, só baixando as coisas da internet e imprimindo em 3D. Se fosse um homem, duvido que ia falar a mesma coisa”, finaliza a engenheira.

Veja abaixo um vídeo com resumo do evento:

Junto com professora Elizete, a Boa Impressão 3D pretende criar mais eventos como este, que juntam ideias em prol da expansão da cultura da impressão 3D no Brasil. Aguarde novidades em nossas redes.

Leia também


Fique por dentro

Receba em seu e-mail notícias, promoções e dicas