Blog

Imprimir arma 3D é crime. Descubra o porquê!

Imprimir arma 3D é crime. Descubra o porquê!
|

Entenda o motivos que envolvem a possibilidade da impressão de uma arma 3D e os riscos à população

Próteses, rolamentos, lembrancinhas de casamento e até action figures. A tecnologia tridimensional é muito ampla e materializa em 3D o que a criatividade permitir. Entretanto, nem todas as impressões realizadas podem ser benéficas para sociedade, como a impressão de uma arma 3D.

O assunto está em discussão em diversas partes do mundo, mas veio à tona principalmente quando a 3D Liberator, empresa americana, fundada por Cody Wilson, em 2016, criou uma arquivo em STL de arma 3D e em apenas dois dias foi feito mais de 800 mil downloads do material.

Pelo fato da arma 3D ser composta por plástico, ou seja, filamento, e não possuir nenhuma peça em metal, torna ineficaz ação de detectores de metais em entradas de espetáculos, instituições financeiras ou aeroportos, por exemplo.

A partir deste tópico, surgiu a polêmica: como regular uma arma de fogo que pode ser impressa por qualquer pessoa que tenha algumas gramas de filamento, um arquivo STL e uma impressora 3D?

Número de registro e controle do Estado

Outro fator importantíssimo envolvido quanto à questão da arma 3D é número de registro e a licença do comprador. Com impressão em série, não há um controle sobre a quantidade de armas 3D impressas e o seu rastreamento.

Caso ocorra um crime com a utilização do artefato em 3D, não é possível obter o rastreio pelo número de registro e encontrar os dados do dono. Se há crimes que se arrastam por anos nos tribunais, imagine só sem a informação do dono do artefato.

A cadeia produtiva também altera. Com a popularização da arma 3D não existirá o “filtro” obrigatório para as pessoas que são legalmente capacitadas para a posse da arma de fogo e todos os testes necessários para obtenção do documento.

Além de não correr um controle de qualidade dos artefatos, ou seja, a possibilidade de acontecer acidentes com uma arma 3D são muito grandes, afinal, trata-se de uma arma letal.

Produzir arma 3D no Brasil é crime

O Brasil é o país onde mais se mata por arma de fogo no mundo. Só em 2016, mais de 43 mil pessoas foram mortas por armas de fogo no Brasil, segundo o Global Burden Disease, órgão da Organização Mundial da Saúde que pesquisa as principais causas de morte ao redor do mundo.

Em vigor desde 2003, o Estatuto do Desarmamento, uma lei federal brasileira, proíbe o porte de arma por cidadãos civis. Mediante a necessidade de posse comprovada, o indivíduo passa por um processo perante à Polícia Federal, como ter mais de 25 anos e apresentar capacidade psicológica para o manuseio da arma de fogo.

Por este motivo, a produção de arma 3D no Brasil é crime. Infringe o Estatuto do Desarmamento, que proíbe a produção de artefatos em série e regula a capacidade de quem pode obtê-la. A pena para quem comete este tipo de crime é de quatro a oito anos de reclusão e multa. Também há a possibilidade de ao ser pego com uma arma 3D, responder por posse e porte ilegal de armas.

Índices de violência

Com a popularização da arma 3D num país como o Brasil, onde os índices de violência são alarmantes, os números de homicídios por arma de fogo aumentarão, principalmente pelo fato da impressão de uma arma 3D ser um processo relativamente fácil e rápido.

Comentário da Boa Impressão 3D

A Boa Impressão 3D repudia qualquer pessoa que utiliza as impressoras produzidas pela empresa para a produção de armas ou qualquer artefato letal.

Inscreva-se na nossa newsletter

O Blog da Boa Impressão 3D sempre está atento ao que acontece no universo da tecnologia 3D e proporciona conteúdos que agregam para a prática. Leia todos os artigos aqui. Aproveite e inscreva-se na nossa newsletter abaixo:

————–


Quer saber mais sobre o mundo da impressão 3D?

Receba em seu e-mail notícias, promoções e dicas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Após ser enviado, o seu comentário será avaliado antes de ser publicado.

Leia também


Fique por dentro

Receba em seu e-mail notícias, promoções e dicas